Maringá, 08 de Abril de 2020
OdontoAtual Della Pizza
 
Untitled Document
ADEMAR SCHIAVONE
Memórias de um bom sujeito
 

O PASSADO É PARA REFLETIR, NÃO PARA REPETIR.

MEMÓRIAS DE UM BHOM SUJEITO
Adriano Valente chegou a Maringá com a experiência política e administrativa adquirida no governo do excelente prefeito de Londrina Milton Menezes. Seguindo os passos do amigo ingressou na UDN.  Foi comandante da campanha de Haroldo Leon Peres em 1956 para prefeito e em 1958 para deputado estadual.  Ganhou notoriedade no partido.
Na eleição de 1960, outra vez, participou do comando da campanha de Vanor Henriques.  Em 1962 foi comandante da reeleição de Haroldo para a assembléia.
Naturalmente se credenciou como candidato do partido na eleição de 1964 contra Luiz Moreira de Carvalho.  Perdeu mas ficou mais que favorito para a eleição seguinte, em 1968.
Os muitos e inúteis partidos haviam sido extintos pela revolução.  Criou-se a Arena – partido que dava sustentação ao governo militar – e o MDB que fazia de conta que era contra. Tudo muito bem planejado pelo general Golbery do Couto e Silva, eminência parda no comando político do país.
Como João Paulino houvera sido eleito deputado federal - o mais votado do Paraná – Adriano ingressou no MDB e entrou na campanha para a eleição de 68.  Os dois eram adversários ferrenhos desde 64, mas extremamente leais.  Cada um tinha seu ponto de vista e cada um seu grupo político próprio.
Com o apoio popular em alta elegeu-se prefeito de Maringá.  Seu vice era o professor Renato Bernardi.
Adriano Valente fez um governo de muitas realizações.  Concluiu as obras da estação de tratamento de água pela Codemar e iniciou um gigantesco trabalho de distribuir essa água para a população. Aproveitando-se da amizade com Haroldo Leon Peres que continuava na Arena e era líder do governo na Câmara Federal, obteve financiamentos e foi tocando obras.
Em 1970 Haroldo foi nomeado governador do Paraná, assumindo em 1971. Adriano atendendo ao pedido do amigo governador trocou o MDB pela Arena com toda sua equipe de governo. Sorte sua: veio dinheiro do estado e nasceu o parque do Ingá e o Parque de Exposições. E mais: nasceu a Universidade Estadual de Maringá.  E o Haroldo ficou só sete meses no governo. Imagine se ficasse mais.
Adriano Valente foi um prefeito além de realizador, extremamente cordato, bem ao seu estilo: sempre gentil, sempre otimista,  sempre dedicado à causa publica e à família. Em saindo da prefeitura elegeu-se deputado federal em 74 e 78.
Deixou a vida publica e voltou à sua banca de advogado.
Adriano Valente continua sendo um homem cordato, gentil, amável e que tem o respeito da cidade que escolheu para viver, criar sua família e constituir seus amigos. Amigos que o admiram muito e têm por ele respeito.
Adriano Valente um bom sujeito. Mais: um ótimo sujeito a quem Maringá deve muito.

DIA DOS PAIS
Hoje é dia dos pais.
Um dia a mais no calendário promocional das vendas do comércio.
Ou um dia para a gente homenagear mesmo aquele que nos deu a vida.
Meu pai morreu há mais de cinqüenta anos.
Para homenagear a todos os pais, vou falar do tempo do meu pai.
Quando ele nasceu o rádio estava sendo descoberto.  Existia em algum lugar do mundo e não demorou chegar ao Brasil. Luz elétrica nas ruas das cidades nem pensar.  Os lampiões de gás e a querosene iluminavam as vias publicas.  Quando tinha, claro. O automóvel já existia.  Era o pé-de-bode fabricado por Henry Ford.  Alguns brasileiros ricos já possuíam os seus. No seu tempo nasceu o desbravador dos sertões: o famoso Jeep Willis.
Geladeira nem pensar. Os alimentos eram conservados dentro das latas de banha de porco, bem tapadas. Bebia-se água dos córregos e rios e dos poços profundos nos quintais. Às vezes nem tão profundos.
No tempo do meu pai o fio do bigode valia muito mais que qualquer papel assinado.  A palavra empenhada era compromisso para ser cumprido.
As contas nos armazéns eram anotadas em cadernetas que cada um levava para sua casa. E os pagamentos eram no dia marcado. Às vezes a cada seis meses.
Os armazéns vendiam de tudo: secos e molhados, tecidos, ferragens, material de construção.
Namoro era coisa séria. Sexo só depois do casamento. Casamento que era para sempre e as moças, virgens.  Filho obedecia ao pai em qualquer circunstancia. Bastava um olhar e pronto.  Mulher era dona de casa.  Não precisava trabalhar fora. O homem, seu marido, a sustentava em todas as necessidades.
Ir à igreja nas missas dominicais era obrigação de todos.  O pároco era pessoa estudada  e conselheiro da família. Os padrinhos de batismo e de crisma, segundos pais, com autoridade sobre os afilhados.  
Escola era para poucos.  Professor era respeitado, figura de enorme poder no seio da sociedade. Quem conseguia terminar o primário, um herói.
O cavalo e a carroça os meios de transporte mais usuais. Ter uma boa montaria um sonho de todos.
O trem de ferro, puxado por máquinas movidas a lenha, o mais formidável meio de transporte de gente e de cargas que existia.
No tempo do meu pai o rádio ficava no centro da sala e o repórter Esso o noticioso de maior credibilidade que existia. Ninguém podia nem tossir.
Pais e filhos almoçavam e jantavam juntos.
A alegria diária era ouvir Vicente Celestino, Francisco Alves, Tonico e Tinoco, Carmem Miranda, e tantos outros discos de vinil,  na eletrola movida a manivela. Ou cantar junto da viola na roda de amigos.
A fartura vinha da roça e dos roçados. Do mato e das quiçaças. Da caça de aves e bichos: pombas, jacus, urus, veados, quatis, capivaras, antas, etc. Tudo era permitido. Colher na mata palmitos, jaracatiás, gabirobas, jabuticabas, pitangas e tantas outras frutas silvestres.
Homem não usava brinco e nem tatuagem. No cabelo só gumex. Ou brilhantina. Tinta jamais.  A cor era a natural.
Quando ele nasceu nascia também o cinema. Mudo e, Charlie Chaplin o mais famoso dos artistas.
Circulavam os gibis que toda criança lia ou olhava as figuras do Tarzan, do Capitão Marvel, do Super-Homem. Com a Disney apareceram os imutáveis Mickey, Pato Donald, Pateta e tantos outros personagens eternos.
Preso trabalhava para a comunidade, carpindo mato na rua ou consertando buracos, quebrando pedras para se fazer calçamentos, com uma corrente amarrada aos pés.
No tempo do meu pai político era gente importante, respeitada, querida, admirada. Tinham adversários e até inimigos, mas eram morais.
Não existiam homens públicos imorais, quanto mais amorais como hoje.
No tempo do meu pai um presidente se matou porque um seu homem de confiança foi acusado de um atentado mortal contra um adversário.
Não existia telefone, televisão, internet. Nada disso.
A gente se falava, se entendia, fazia amigos, companheiros.
Brincava na rua.  Andava de bicicleta. Caçava com estilingues.
Quando um filho se machucava o remédio caseiro funcionava mesmo.
Policial era respeitado e não temido.
No tempo do meu pai droga era o cigarro ou a cachaça.  Ninguém roubava ou matava para saciar o vicio.
Ladrão eram o Meneghetti e o bandido da luz vermelha.  Só assaltavam ricos.
As casas nem eram trancadas direito. A maioria nem chave tinham.
Ah! Que tempo bom o tempo do meu pai.
Com certeza se fosse vivo estaria estarrecido com o mundo de hoje...

AS PODEROSAS
Ruy, Nadir, Waldemar e Idalina. Todos Allegretti.  Todos, professores que chegaram à cidade em 1953 quando da instalação do Ginásio Municipal Gastão Vidigal.
As irmãs comandavam a casa. Como todos eram solteiros cada um cumpria a sua parte.
A Nadir como irmã mais nova, também obedecia.
Fui aluno deles naquela época e convivi intensamente da amizade de todos. Aliás, convivo e preso essa amizade até hoje com a Idalina e o Valdo.
Mas a Idalina, a mais humilde dos quatro, sempre foi poderosa.  Com seu jeitinho gentil e afável sempre determinou o que deveria ser feito.
Quando dona Maria e seu Jacó, pais deles, vieram morar na cidade, sabiamente lhes foi passado o comando da casa.
Mas a Idalina continuava mandando sem aparecer.
No colégio exercia uma enorme liderança junto dos professores e dos alunos.
Além de ensinar a matéria curricular, ensinava também, a gente a ser gente.
Todos os alunos aprenderam a dançar com ela e com a Nadir. O Ruy era o professor  das meninas.  O Waldemar só foi aprender a dançar depois do casamento. A Marília tratou de ensinar.
Idalina Allegretti completou no mês passado 86 anos de idade. Continua com o espírito jovem. Com a pose altaneira. A cabeça erguida.  Ela transmite segurança e respeito.
Foi poderosa no ensinamento das crianças e adolescentes da época em que exerceu o magistério.
Uma mulher de valor. De muito valor. Que o digam os que, como eu, tive o privilegio de ser seu aluno. Na escola e na vida. 

DROGAS E DROGAS
Quando vejo e participo do trabalho insano que os companheiros do Lions, liderados pelo dr. João Batista Leonardo, fazem há anos no combate ao uso de drogas, sinto um enorme vazio.
Enquanto alguns se esfalfam para recuperar vidas de viciados, como faz o Pastor Nilton Tuller no Molivi ou o Padre Julinho, o Cezar Abrão, o Sergio Scramim, o Valdecir, o Russo, o Odair, o Flauzino, o Carlos Humberto e tantos outros abnegados, no Marev,  um bando de idiotas irresponsáveis, inspirados num idiota maior que é ministro de estado – Carlos Minc – prepara uma manifestação publica para a liberação do consumo da maconha.  Anunciam para daqui algumas semanas em Maringá.
Espero que o prefeito Silvio Barros proíba a pretensão idiota e maléfica desses insensatos irresponsáveis.
Volto ao assunto.

A ÚNICA AMBIÇÃO  UNIVERSAL DO HOMEM É PASSAR A VIDA COLHENDO O MÁXIMO DO QUE NUNCA PLANTOU!

 
  
Os artigos, conceitos e opiniões pessoais são de inteira responsabilidade do autor.
14.02.2016
Memórias de um bom sujeito
10.02.2016
Memórias de um bom sujeito
31.01.2016
Memórias de um bom sujeito
24.01.2016
Memórias de um bom sujeito
07.12.2015
Memórias de um bom sujeito
29.11.2015
Memórias de um bom sujeito
23.11.2015
Memórias de um bom sujeito
15.11.2015
Memórias de um bom sujeito
08.11.2015
Memórias de um bom sujeito
01.11.2015
Memórias de um bom sujeito
26.10.2015
Memórias de um bom sujeito
17.10.2015
Memórias de um bom sujeito
12.10.2015
Memórias de um bom sujeito
05.10.2015
Memórias de um bom sujeito
28.09.2015
Memórias de um bom sujeito
21.09.2015
Memórias de um bom sujeito
13.09.2015
Memórias de um bom sujeito
08.09.2015
Memórias de um bom sujeito
23.08.2015
Memórias de um bom sujeito
31.05.2015
Memórias de um bom sujeito
24.05.2015
Memórias de um sujeito
10.05.2015
Memórias de um bom sujeito
03.05.2015
Memórias de um bom sujeito
18.04.2015
Memórias de um bom sujeito
12.04.2015
Memórias de um bom sujeito
30.03.2015
Memórias de um bom sujeito
30.03.2015
Memórias de um bom sujeito
22.03.2015
Memórias de um bom sujeito
15.03.2015
Memórias de um bom sujeito
08.03.2015
Memórias de um bom sujeito
01.03.2015
Memórias de um bom sujeito
12.01.2015
Memórias de um bom sujeito
03.01.2015
Memórias de um bom sujeito
21.12.2014
Memórias de um bom sujeito
14.12.2014
Memórias de um bom sujeito
07.12.2014
Memórias de um bom sujeito
30.11.2014
Memórias de um bom sujeito
23.11.2014
Memórias de um bom sujeito
16.11.2014
Memórias de um bom sujeito
09.11.2014
Memórias de um bom sujeito
02.11.2014
Memórias de um bom sujeito
19.10.2014
Memórias de um bom sujeito
14.10.2014
Memórias de um bom sujeito
05.10.2014
Memórias de um bom sujeito
29.09.2014
Memórias de um bom sujeito
14.09.2014
Memórias de um bom sujeito
07.09.2014
Memórias de um bom sujeito
31.08.2014
Memórias de um bom sujeito
26.08.2014
Memórias de um bom sujeito
17.08.2014
Memórias de um bom sujeito
11.08.2014
Memórias de um bom sujeito
03.08.2014
Memórias de um bom sujeito
20.07.2014
Memórias de um bom sujeito
12.07.2014
Memórias de um bom sujeito
06.07.2014
Memórias de um bom sujeito
30.06.2014
Memórias de um bom sujeito
22.06.2014
Memórias de um bom sujeito
17.06.2014
Memórias de um bom sujeito
10.06.2014
Memórias de um bom sujeito
01.06.2014
Memórias de um bom sujeito
25.05.2014
Memórias de um bom sujeito
14.05.2014
Memórias de um bom sujeito
04.05.2014
Memórias de um bom sujeito
27.04.2014
Memórias de um bom sujeito
20.04.2014
Memórias de um bom sujeito
13.04.2014
Memórias de um bom sujeito
06.04.2014
Memórias de um bom sujeito
30.03.2014
Memórias de um bom sujeito
25.03.2014
Memórias de um bom sujeito
20.03.2014
Memórias de um bom sujeito
17.02.2013
Memórias de um bom sujeito
30.12.2012
Memórias de um bom sujeito
18.11.2012
Memórias de um bom sujeito
11.11.2012
Memórias de um bom sujeito
06.11.2012
Memórias de um bom sujeito
28.10.2012
Memórias de um bom sujeito
23.10.2012
Memórias de um bom sujeito
14.10.2012
Memórias de um bom sujeito
30.09.2012
Memórias de um bom sujeito
25.09.2012
Memórias de um bom sujeito
16.09.2012
Memórias de um bom sujeito
09.09.2012
Memórias de um bom sujeito
02.09.2012
Memórias de um bom sujeito
26.08.2012
Memórias de um bom sujeito
19.08.2012
Memórias de um bom sujeito
12.08.2012
Memórias de um bom sujeito
06.08.2012
Memórias de um sujeito
29.07.2012
Memórias de um bom sujeito
22.07.2012
Memórias de um bom sujeito
15.07.2012
Memórias de um bom sujeito
08.07.2012
Memórias de um bom sujeito
01.07.2012
Memórias de um bom sujeito
24.06.2012
Memórias de um bom sujeito
17.06.2012
Memórias de um bom sujeito
03.06.2012
Memórias de um bom sujeito
26.05.2012
Memórias de um bom sujeito
29.04.2012
Memórias de um bom sujeito
22.04.2012
Memórias de um bom sujeito
24.03.2012
Memórias de um bom sujeito
18.03.2012
Memórias de um bom sujeito
13.03.2012
Memórias de um bom sujeito
04.03.2012
Memórias de um bom sujeito
25.12.2011
Memórias de um bom sujeito
14.12.2011
Memórias de um bom sujeito
13.11.2011
Memórias de um bom sujeito
05.11.2011
Memórias de um bom sujeito
01.11.2011
Memórias de um sujeito
18.10.2011
Memórias de um bom sujeito
11.10.2011
Memórias de um bom sujeito
25.09.2011
Memórias de um bom sujeito
03.09.2011
Memórias de um bom sujeito
20.08.2011
Memórias de um bom sujeito
06.08.2011
Memórias de um bom sujeito
01.08.2011
Memórias de um bom sujeito
24.07.2011
Memórias de um bom sujeito
16.07.2011
Memórias de um bom sujeito
12.07.2011
Memórias de um bom sujeito
02.07.2011
Memórias de um bom sujeito
19.06.2011
Memórias de um bom sujeito
12.06.2011
Memórias de um bom sujeito
04.06.2011
Memórias de um bom sujeito
28.05.2011
Memórias de um bom sujeito
03.04.2011
Memórias de um bom sujeito
27.03.2011
Memórias de um bom sujeito
20.03.2011
Memórias de um bom sujeito
13.03.2011
Memórias de um bom sujeito
06.03.2011
Memórias de um bom sujeito
20.02.2011
Memórias de um bom sujeito
13.02.2011
Memórias de um bom sujeito
06.02.2011
Memórias de um bom sujeito
04.01.2011
Memórias de um bom sujeito
12.12.2010
Memórias de um bom sujeito
05.12.2010
Memórias de um bom sujeito
28.11.2010
Memórias de um bom sujeito
21.11.2010
Memórias de um bom sujeito
14.11.2010
Memórias de um bom sujeito
07.11.2010
Memórias de um bom sujeito
31.10.2010
Memórias de um bom sujeito
24.10.2010
Memórias de um bom sujeito
17.10.2010
Memórias de um bom sujeito
10.10.2010
Memórias de um bom sujeito
03.10.2010
Memórias de um bom sujeito
19.09.2010
Memórias de um bom sujeito
12.09.2010
Memórias de um bom sujeito
29.08.2010
Memórias de um bom sujeito
15.08.2010
Memórias de um bom sujeito
08.08.2010
Memórias de um bom sujeito
25.07.2010
Memórias de um bom sujeito
18.07.2010
Memórias de um bom sujeito
11.07.2010
Memórias de um bom sujeito
04.07.2010
Memórias de um bom sujeito
27.06.2010
Memórias de um bom sujeito
20.06.2010
Memórias de um bom sujeito
13.06.2010
Memórias de um bom sujeito
06.06.2010
Memórias de um bom sujeito
30.05.2010
Memórias de um bom sujeito
23.05.2010
Memórias de um bom sujeito
16.05.2010
Memórias de um bom sujeito
09.05.2010
Memórias de um bom sujeito
25.04.2010
Memórias de um bom sujeito
18.04.2010
Memórias de um bom sujeito
11.04.2010
Memórias de um bom sujeito
04.04.2010
Memórias de um bom sujeito
28.03.2010
Memórias de um bom sujeito
21.03.2010
Memórias de um bom sujeito
14.03.2010
Memórias de um bom sujeito
07.03.2010
Memórias de um bom sujeito
27.02.2010
Memórias de um bom sujeito
21.02.2010
Memórias de um bom sujeito
16.02.2010
Memórias de um bom sujeito
14.02.2010
Memórias de um bom sujeito
20.12.2009
Memórias de um bom sujeito
13.12.2009
Memórias de um bom sujeito
06.12.2009
Memórias de um bom sujeito
29.11.2009
Memórias de um bom sujeito
22.11.2009
Memórias de um bom sujeito
15.11.2009
Memórias de um bom sujeito
08.11.2009
Memórias de um bom sujeito
18.10.2009
Memórias de um bom sujeito
11.10.2009
Memórias de um bom sujeito
04.10.2009
Memórias de um bom sujeito
06.09.2009
Memórias de um bom sujeito
30.08.2009
Memórias de um bom sujeito
23.08.2009
Memórias de um bom sujeito
15.08.2009
Memórias de um bom sujeito
02.08.2009
Memórias de um bom sujeito
26.07.2009
Memórias de um bom sujeito
12.07.2009
Memórias de um bom sujeito
05.07.2009
Memórias de um bom sujeito
28.06.2009
Memórias de um bom sujeito
21.06.2009
Memórias de um bom sujeito
07.06.2009
Memórias de um bom sujeito
31.05.2009
Memórias de um bom sujeito
17.05.2009
Memórias de um bom sujeito
10.05.2009
Memórias de um bom sujeito
03.05.2009
Memórias de um bom sujeito
26.04.2009
Memórias de um bom sujeito
19.04.2009
Memórias de um bom sujeito
12.04.2009
Memórias de um bom sujeito
05.04.2009
Memórias de um bom sujeito
29.03.2009
Memórias de um bom sujeito
22.03.2009
Memórias de um bom sujeito
08.03.2009
Memórias de um bom sujeito
01.03.2009
Memórias de um bom sujeito
22.02.2009
Memórias de um bom sujeito
15.02.2009
Memórias de um bom sujeito
28.12.2008
Memórias de um bom sujeito
25.12.2008
Memórias de um bom sujeito
21.12.2008
Memórias de um bom sujeito
07.12.2008
Memórias de um bom sujeito
30.11.2008
Memórias de um bom sujeito
23.11.2008
Memórias de um bom sujeito


Rebote - Cláudio Viola
Rebote - Cláudio Viola
PADRE EDUARDO BELOTTI
Momento de Espiritualidade
WALTER POPPI
Trimestralidade. Não é somente isso
WALDEMAR ALLEGRETTI
Já passou da hora
COLUNISMO SOCIAL
Eventos e Personalidades
DOM ANUAR BATTISTI
Arquidiocese de Maringá
EM DEFESA DO CONSUMIDOR
Confira seus direitos
TIAGO VALENCIANO
Política e Sociedade
OSWALDO FREIRE
Capital Federal
FRANCISCO JOSÉ DE SOUZA
A Lógica do Espiritismo
TATTÁ CABRAL
Ensaio
HENRI JEAN VIANA
Francês Press
ROSE LEONEL
Notícia e Cia.
ORLANDO GONZALEZ
Dois Toques
CARMEM RIBEIRO
Colunista Social
JUAREZ FIRMINO
Balanço Geral
ADEMAR SCHIAVONE
Memórias de um bom sujeito
VERDELÍRIO BARBOSA
Fatos Políticos
Clicompre
Aroma Ingá
Agropecuária Hélio
Rima Seguros
MaringáMais
Click do Gato