Maringá, 18 de Outubro de 2018
GLOBAL BENEFÍCIOS Black Bull Steak House
 
Untitled Document
03.01.2018
Ulisses projeta ano positivo em 2018
Em conversa com o prefeito de Maringá, Ulisses Maia (PDT), licenciado do cargo até o dia 19 deste mês, promessas defendidas na eleição e ainda não executadas foram garantidas para os próximos anos. Ao notar diferença entre o legislativo e o executivo, também afirmou que apesar de todas as dificuldades, 2017 foi um ano positivo para Maringá e a administração e que o objetivo para 2018 é ampliar o trabalho desenvolvido.

Sem mudanças programas para o primeiro escalão do governo, todos os secretários serão mantidos, porém, mudanças sistemáticas devem ser colocadas em prática a fim de ampliar a economia dos recursos públicos ao mesmo tempo em que a eficiência é garantida. Com 30% das promessas cumpridas em 25% de gestão, Maia faz a defesa do bem estar da população e dos cuidados com os serviços que são oferecidos de forma pública. Longe de polêmicas, o objetivo principal para 2018 é aumentar o ritmo de trabalho e concretizar o plano de crescimento de escolas e postos de saúde.

JP: Como que você avalia este primeiro ano como chefe do executivo.
Ulisses: Um ano extremamente positivo. Em tese, este seria o mais difícil dos quatro anos de gestão, muito porque a gente ter feito uma ruptura de uma gestão que vinha há 12 anos trabalhando. Reduzimos os cargos comissionados de 540 para 150. Foi uma redução grande, sem transição. Além disso, depois das eleições a administração cancelou muitas licitações que estavam e andamento o que atrapalhou um pouco. Apesar disso, nós conseguimos ter um ano com mais resultados concretos do que no ano anterior. Uma equipe técnica, preparada, capacitada e os resultados a população sentiu na Cidade.

JP: Das promessas feitas em 2016, vocês fizeram um levantamento e acompanhamento sobre qual a porcentagem de medidas que já foram realizadas ou pelo menos estão encaminhadas?
Ulisses: Mais de 30%. Para o primeiro ano é um saldo muito positivo. Vamos manter e até tentar ampliar ainda mais o ritmo para que tudo seja colocado em prática.

JP: Com avaliação positiva em diversos aspectos em 2017, como você projeta o ano de 2018 para a gestão em Maringá? No caso da saúde, por exemplo, os atendimentos especializados serão mantidos neste ritmo atual?
Ulisses: Será um ano de muito trabalho. Muito há de ser feito. Nós não vamos manter o mesmo ritmo de 2017, nós vamos acelerar. De tudo o que aconteceu, nós provamos que é possível fazer com melhor gestão do recurso público. Como você falou, na saúde, por exemplo, os números apontam índices surpreendentes. Nós pegamos uma lista de espera de 15 mil pessoas, muitas vezes por meses e anos, e nós fizemos mais de 80 mil consultas, com uma equipe menor e com os mesmos recursos. Ultrassom tinha uma fila de 9,7 mil pessoas e nós zeramos. Tomografia e ressonância tinham 1,8 mil pessoas e nós zeramos. A maior parte das filas nós zeramos, consultas especializadas também. Nós vamos acelerar ainda mais pra 2018. O Hospital Municipal era subutilizado. Ele tinha 30% de ocupação. Nós levamos ocupação total. Fizemos 5 mil internamentos, 20 mil consultas e 5 mil cirurgias que não eram realizadas no Hospital. Nós priorizamos o ser humano, o atendimento a pessoa. Não achamos justo que um cidadão em uma cidade rica como Maringá não tenha atendimento. Se outras gestões não fizeram isso antes é um mistério. Aliás, fizemos isto economizando. Uma das características do nosso mandato é a economia dos recursos públicos. Como a economia do prédio do Procon, em R$ 9 mil por mês. O prédio da Agência do Trabalhador, com quase R$ 80 mil por ano de economia também. Todos mudando para prédios melhores.

JP: Você avalia algum ponto ou uma proposta em 2017 que pode ser entendido como uma frustração por não ter tido o resultado esperado e, por isso, será prioridade para 2018?
Ulisses: Frustração eu não digo, mas a percepção de que a estrutura burocrática é excessiva. Aqui mesmo na minha mesa tem um monte de documentos e processos para assinar. A estrutura é muito burocrática. A burocracia às vezes não atende no prazo que nós gostaríamos. Por conta da burocracia, principalmente na licitação, obras importantes nós vamos fazer agora em 2018. Claro que queríamos ter feito em 2017, como as seis pernas dos viadutos no Contorno Norte e outro viaduto, já duplicado, na Avenida Américo Belay. Essas são obras que, claro, teria o maior prazer de já ter iniciado, mas a burocracia que envolve Dnit, Caixa, Prefeitura, acaba atrasando. Não é uma frustração, mas uma constatação de que a burocracia é excessiva. Algo que poderia ser feita em seis meses demora muito mais. A burocracia que requer prazos e fases ela é normal. Como vereador e como cidadão nós sempre questionamos os erros, não um procedimento que muitas vezes é fundamental. Estamos tratando com processos que valem milhões de reais. A burocracia tem que ser importante para os cuidados com os recursos públicos. Tem que ser útil para evitar erros. Por exemplo, o novo terminal, as obras estavam paradas por erros. Na Avenida Morangueira também eram erros que impediam os avanços. Os viadutos do Contorno Norte, erro no projeto. Avenida Carlos Borges, erro no projeto. Isso eu sempre contestei e vou continuar contestando.

JP: Uma medida que não era utilizada com frequência e foi implementada no segundo semestre de 2017 se deve a municipalização de um serviço público, como a coleta de lixo. Apesar do pouco tempo de funcionamento na cidade, cerca de cinco meses, é possível fazer uma avaliação, inclusive disso servir como exemplo para outras localidades?
Ulisses: A avaliação é que nós estamos economizando R$ 16 milhões por ano que ia para o bolso de alguém. O contrato foi provado o superfaturamento dele. O Ministério Público, juiz em primeira instância e o Observatório Social identificaram e reconheceram isso. Eu não sou contra terceirização, desde que tenha diálogo e seja benéfico ao poder público. Agora, uma privatização em que você beneficia alguém e não o poder público você não pode aceitar. O que nós fizemos foi trazer de volta, os coletores já tinham na Semusp, eles estavam esperando. A coleta convencional está de forma excelente, não há registro de reclamações da coleta convencional, e o município está economizando.


JP: Para 2018 há mais algum setor em que a gestão pensa em municipalizar?
Ulisses: Nem todas as áreas são possíveis de se municipalizar. Estamos pensando em uma mudança do sistema que é na área de manutenção de veículos. Isso consome muito dinheiro. Estamos com alguns estudos. É ideia parte da frota ser locada. É ideia continuar a manutenção no novo sistema de cartão onde a cada serviço você cadastra as empresa e a cada serviço você passa o sistema e onde estiver o menor preço você faz o serviço. Também no combustível e outros serviços, nós vamos mudar a forma de executar para economizar.

JP: Também de interesse da Prefeitura, o Horto Florestal é um ponto prioritário para a gestão. Você acredita que 2018 é o ano da tão esperada reabertura do Horto?
Ulisses: Esta é a nossa vontade. Estamos trabalhando muito pra isso. Tive muitos contatos com a Companhia [Melhoramentos Norte do Paraná]. Estamos terminando um entendimento e a meta, pode ser que não dê, mas a meta é abrir em maio. A Cidade faz 71 anos e acho um problema muito grande um espaço daquele, com toda aquela riqueza, ficar fechado sem as pessoas poderem curtir aquilo.

JP: Com toda esta expectativa para o novo ano, como você imagina que estará Maringá no final de 2018, em linhas gerais?
Ulisses: Com novas escolas, novas creches e novos postos de saúde. O Hospital da Criança, se não em fase de construção, pelo menos em fase final de implementação. Obras fundamentais como os viadutos do Contorno Norte e a duplicação da Avenida Carlos Borges em fase final. O Terminal Intermodal com previsão de acabar em setembro de 2019 espero que esteja na fase final. Também desejo a inauguração das 23 áreas de lazer, com campos de futebol sintético, alambrado, iluminação, parque infantil e áreas de convivência. Para o início de 2019 espero que tenha muito mais resultados positivos do que no início de 2018. Para sair do papel precisamos apenas trabalhar, trabalhar e trabalhar.

Matheus Gomes
Foto - Márcio Naka
 
17.10.2018
Corinthians vai usar força da Fiel
17.10.2018
“Há terrorismo no Brasil”, diz ministro da Justiça
17.10.2018
Homem abusava sexualmente do filho
17.10.2018
Vereador pede câmeras apenas fora das salas de aula
17.10.2018
‘Business As Mission’ será realizado em Maringá
17.10.2018
Vereadores criticam promessas feitas por prefeito Ulisses Maia
16.10.2018
Brasil e da Argentina jogam hoje
16.10.2018
Prefeitura inicia construção de 49 casas em Iguatemi
16.10.2018
Horário de verão começa dia 4 de novembro
16.10.2018
Milhares ficam sem energia após temporal em Maringá
16.10.2018
Mais de 75% dos partos da rede pública são cesáreas
16.10.2018
Homem morre em colisão no Contorno Norte
15.10.2018
Semop segue com obras na Avenida Carlos Borges
15.10.2018
Palmeiras líder de novo
15.10.2018
Bolsonaro usa redes sociais para desmentir Haddad
15.10.2018
Rotam prende traficante com 116 quilos de drogas
15.10.2018
Maringá é destaque em Logística Reversa no Paraná
11.10.2018
PT muda de cor para enganar o eleitor
11.10.2018
Bolsonaro lidera no segundo turno com 54%
11.10.2018
Homem que morreu em motel foi vítima de causas naturais
11.10.2018
Cruzeiro vence a primeira da final
11.10.2018
Ulisses Maia volta atrás e suspende projeto de novo imposto
11.10.2018
Movimento na região de Maringá deve aumentar 20% no feriadão
10.10.2018
Começa a disputa pela Copa do Brasil
10.10.2018
Cidade de Sarandi comemora 37 anos
10.10.2018
Câmara aprova projeto de segurança e fiscalização de combustíveis
10.10.2018
Maia assina projeto para implantar o “botão do pânico”
10.10.2018
“Gatorade” de cocaína é usado para matar presos
10.10.2018
Prefeitura faz projeto para cobrar novo tributo
09.10.2018
Partidos devem anunciar apoio no segundo turno
09.10.2018
Calçadas irregulares rendem quase 2 mil notificações
09.10.2018
Maringá elege oito deputados e aumenta representatividade
09.10.2018
Universidade inaugura sistema de monitoramento
09.10.2018
MP denuncia homem por feminicídio
08.10.2018
Vídeos com problemas nas urnas eletrônicas viralizam
08.10.2018
Haddad está em Curitiba pedindo conselho na prisão
08.10.2018
Briga termina em assassinato no Ebenezer
07.10.2018
Ratinho Júnior é eleito governador do Paraná
07.10.2018
A noite da vergona do UFC
07.10.2018
Bolsonaro e Haddad disputam o segundo turno
06.10.2018
“Operações Eleitorais” unem órgãos de segurança de Maringá
07.10.2018
Prefeitura abre licitação para agência de publicidade
07.10.2018
Mais de 147 milhões de eleitores devem ir às urnas neste domingo
06.10.2018
Plano de mobilidade urbana será elaborado em 2019
06.10.2018
Presos libertam reféns e encerram rebelião
05.10.2018
Cruzeiro fora da Libertadores
05.10.2018
Eleitor pode consultar local de votação por telefone
05.10.2018
Polícia Militar monta esquema para as Eleições 2018
05.10.2018
Depen controla rebelião na Penitenciária Estadual
04.10.2018
Palmeiras avança na Libertadores
04.10.2018
Agentes de trânsito vão receber adicional por periculosidade
04.10.2018
Festa das Nações
04.10.2018
Candidato a governo de São Paulo sofre ataque a tiros
04.10.2018
Maringá terá reajuste de 4,2% no IPTU em 2019
03.10.2018
Prefeitura abre licitação para novos jazidos
03.10.2018
Projeto “Trânsito em Sala de Aula”
03.10.2018
Bolsonaro dispara a 32% segundo Datafolha
03.10.2018
João Gordo relembra saída da MTV
03.10.2018
Maringá atingiu a maior arrecadação do ISSQN da história
03.10.2018
Mulher atropela e fere ex-marido
02.10.2018
Problema de umidade em solo da Catedral
02.10.2018
Maringá tem R$ 2,1 bi em poupança
02.10.2018
Palocci diz que houve desonestidade em toda a estrutura do PT
02.10.2018
Paraná não terá lei seca nas eleições 2018
02.10.2018
Atirador mata jovem pelas costas
01.10.2018
Palmeiras é novo líder do Brasileiro
01.10.2018
Manifestantes vão às ruas em apoio a Jair Bolsonaro
01.10.2018
Terremoto e tsunami na Indonésia causam mais de 800 mortes
01.10.2018
Atividades diversas marcam a Semana do Idoso
01.10.2018
Sanepar é proibida de cobrar taxa mínima de água e esgoto
01.10.2018
Professor denuncia ação durante eleições da UEM
Nipo Brasileiro Contabilidade
Asia Sushi Beer
SINCONFEMAR
Della Pizza
B1
Centro Comercial Tiradentes
Paraná Banco
MAPA - Venda de Ônibus
Oliver Media
Garage Motors
OdontoAtual